.posts recentes

. Porquê?

. Luz... do luar

. Saudade...

. Iludimo-nos ou desiludem-...

. As fotos que não tirei!

. Meu DEUS... porquê?

. Desencontro...

. Enquanto é tempo...

. Eu queria ser...

. A vida é um livro

.arquivos

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

Terça-feira, 22 de Maio de 2007

Apenas um clique...

Observamo-nos de fora e, normalmente, não gostamos!
As nossas fotos, a nossa imagem...
Aqui ou ali, há sempre algo que gostaríamos de mudar!
Mas aquilo que é reflectido de nós num pedaço de papel ou num écran é apenas o invólucro que - mais ou menos colorido, mais ou menos agradável à vista - pouco ou nada conta no compromisso ou na missão que cada um, de per si, tem que assumir, tem para cumprir!
E se fosse possível accionar ao nível de um clique, um sistema que nos permitisse sair de nós e, nessa condição, observar as nossas atitudes, os nossos comportamentos, as nossas reacções perante o meio, perante os outros...?
Será que gostaríamos do que nos era dado observar?
Criticamos os outros quando reagem de determinada maneira a este estímulo ou àquela situação... E a nós próprios?
Porque não tentamos criar, de vez em quando, esse distanciamento e rever o filme do qual somos os actores principais?
A maior parte, por certo, não gostaria de alguns papéis, de algumas cenas! Mas aí, é possível mudar! Aliás, só aí é possível fazer alterações!
Querendo, podemos, sempre, tornarmo-nos mais verdadeiros, mais autênticos, mais justos, mais compreensivos, mais pacientes, mais humildes, …
A opinião que os outros têm de nós é importante. Devemos saber ouvi-la, cientes, porém, que a carga subjectiva que transporta é muito grande.
É importante, é fundamental parar, interiorizar o nosso olhar, ouvir a voz da nossa consciência, reflectir em cada final de dia nas atitudes, nos comportamentos, nas decisões que tomámos não só em relação aos outros mas, antes de mais, perante nós mesmos!
Não declinamos, demasiadas vezes, os nossos gostos, as nossas paixões, as nossas preferências, os nossos sonhos e até, as nossas ilusões, em prol do receio ou do medo da crítica social que nos atemoriza e impede de sentir, de absorver, de saborear, no fundo,… de VIVER?
 
publicado por disa às 00:01
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds