.posts recentes

. Porquê?

. Luz... do luar

. Saudade...

. Iludimo-nos ou desiludem-...

. As fotos que não tirei!

. Meu DEUS... porquê?

. Desencontro...

. Enquanto é tempo...

. Eu queria ser...

. A vida é um livro

.arquivos

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

Terça-feira, 8 de Maio de 2007

Uma gotinha de chuva amargurada...

Havia já alguns dias que aquela gotinha de chuva permanecia no mesmo sítio!
Periclitante, lá continuava agarrada ao umbral da janela!
- Que tens gotinha de chuva? Porque tremes tanto? – perguntei.
- Não quero ser chuva, não quero ser água, não quero molhar!
- Mas gotinha tu só podes ser tu, não podes ser alguém que não és! Isso é fingir, isso é falsidade, é mentira, é feio...
- Não gosto de mim! – e começou a soluçar.
- Oh! Minha pequenina? Já tinha reparado que pernoitavas aqui mas não sabia que te escondias!
- Queres abrir o teu coração? Falar faz bem, sabes? Principalmente quando nos sabem ouvir!
- Sim. Preciso de falar com alguém! Sou tão pequenina, tão insignificante, gostava de ser como o raio de sol… todos o adoram! De de mim ninguém gosta!
- Estás muito triste, muito deprimida,  não estejas assim. Vá lá, pensa comigo: ninguém é melhor que ninguém. Somos todos iguais, com características diferentes, claro! Mas todos temos um papel para desempenhar neste palco que é a vida. O sol é uma dádiva e sem ele não existia vida, mas sem chuva também não. Cada um tem a sua beleza, cada um tem o seu encanto. Nem sempre pode ser Verão, nem sempre pode ser Inverno! Nem sempre estamos alegres, nem sempre estamos tristes… As emoções alteram-se elas mesmas ou, mudam até, completamente e não somos nós que as escolhemos, elas decorrem das situações que nos acontecem…
É necessário que cada um se empenhe em desenvolver com perfeição e amor o papel que lhe foi atribuído, seja ele qual for, entendes?
- Entendo, mas eu gosto tanto dele!
- Se te escondes, é natural que ele não dê pela tua presença! Sai desse esconderijo, retoma a tua nuvem, rega as plantas, as árvores  e as flores que esperam por ti para crescerem! O raio de sol virá a seguir para as tornar belas e viçosas! E ele vai reparar em ti vais ver!
Na vida, também é assim. O trabalho de cada um encontra sempre complementaridade no trabalho dos outros, ninguém pode viver isolado.
Se, para além dessa complementaridade necessária, houver amor tanto melhor!
Como seres vivos, as plantas sentirão essa harmonia suprema e crescerão bonitas e perfumadas!
É sempre assim, se  distribuído, o amor faz maravilhas!
 
publicado por disa às 23:47
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds